Mobylette – o sonho de toda uma geração

Hits: 67

Ahh, minha primeira moto!!!

IMG 9449 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
É, os anos se passaram pra mim, mas pra essa Caloi XR50, 1987, não.
Primeira constatação: eu cresci e ela é muito pequena!

Assim todos os leitores que forem meus contemporâneos vão exclamar ao ver a foto! E com toda razão, os tempos eram outros, o sonho de nossa geração estava ligado à locomoção.

Em cada cidade do interior havia o ponto de encontro da turma, eram todos adolescentes, mas meninas iam pra lá também, algumas motorizadas outras não, e era uma galera, uma infinidade de Mobylettes, Monaretas, algumas Garellis… E, eventualmente, aparecia alguém com alguma moto. Todas elas paradas na frente da calçada, a turma conversando ao redor, o assunto era moto! De tempos em tempos saiamos pra um rolê… Alguns rachas sem maiores consequências, afinal de contas, pela idade achávamos que estávamos prontos pra dominar o mundo, mas devamos os primeiros passos em nossos ciclomotores.

A Monark Monareta

Aos 13 anos ganhei de aniversário a Monareta vermelha, era de segunda mão, tinha pertencido ao meu irmão, mas era muito nova, muito legal.  No entanto, a Monareta era meio careta, para-lamas cromados, farol redondo… e as Caloi CX e XR eram mais bonitas, mais joviais, mas modernas…  Andavam todas da mesma forma, pois o motor era o mesmo!  Mas descobrimos que aliviando aqui e acolá ela melhorava o desempenho.  E assim foi, tudo que era supérfluo ia sendo descartado, para-lamas, laterais…  só o velocímetro não era removido nunca, pois era a testemunha do ganho de velocidade!

IMG 3060 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
No aniversário de 13 anos, a Monark Monareta que ganhei de presente, foi minha “primeira moto”

Eu já era um cara grandão, a Monareta quebrava demais, vivia no mecânico… Ela durou pouco em minha vida, no ano seguinte eu estava de Yamaha DT 180, mas isso é história pra outra postagem.  A história de hoje é sobre a Mobylette Caloi.

Não se esqueça da minha Caloi.

ba756c7d3359251529f7bb6d50f52460 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração

Mas com o passar do tempo, motos vieram, a idade também, e embora a campanha da Caloi para não ser esquecida tenha sido intensa, a Caloi, pra mim, caiu no esquecimento. Até que, na semana passada, recebo umas fotos por WhatsApp, vindas de um grande amigo de infância, e fiel escudeiro na Monareta, o Adriano Américo.  Eram fotos mal tiradas, distantes, de uma Mobylette XR50, ano 1987, que ele afirmava ser de um amigo, único dono, novinha, absolutamente intocada, que estava guardada em uma garagem há 30 anos! Palavras mágicas esse amigo pronunciou e pedi pra ver a motoquinha… Passados uns dias me ligou que estava lá na oficina dele e eu poderia ir ver. Já havíamos falado de valores, eram razoáveis, ele havia me enviado mais algumas fotos, tudo parecia muito original, embora alguns pequenos pontos de ferrugem e outras “marcas de vida” estivessem presentes.

O Reencontro

valentino rossi yamaha m1 motogp 2015 00 test qatar 3 box the doctor 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Rossi concentrado ao lado de sua moto,
um ritual que se repete

Entrei na oficina dele, por uma curiosa coincidência naquele dia eu estava rodando com a maior moto que tenho, a imensa BMW K1600 GTL com seus 160hp e incrível motor de 6 cilindros.  Ao entrar na oficina, vi a “mobila”, parei a pesada K, desci, cumprimentei o amigo à distancia e meus olhos ficaram vidrados na pequena XR. Fiquei quieto por alguns minutos admirando, me abaixei ao lado dela como faz Valentino Rossi antes das corridas, observava quieto.. Enquanto isso do outro lado da oficina meu amigo Adriano perguntava 1000 coisas, e eu quieto.  Meio que em transe. Aquela Mobyllete foi um túnel do tempo pra mim.

Um verdadeiro Barn Find

Posso dizer que ela é um achado, ou como dizem os americanos um Barn Find. O termo é usado para  descrever algum veiculo que foi encontrado “intocado”… É muito raro as pessoas guardarem veículos assim, sem ter nunca mexido em nada.  Em tradução livre, Barn Find – Descoberto no Celeiro.  Essa Mobylette, documentada e portando a placa amarela ainda lacrada, enrolada em um pano tipo Perfex, já todo ressecado e apodrecido em baixo do banco, demonstra pelos sinais, jamais ter sido desmontada, tocada. Os parafusos não tem sinal de chave, nos raios das rodas uma etiqueta de papel que foi colada na fabrica ainda está lá… Maravilhosa!  Alguns pequenos pontos de ferrugem, é claro, mas pequenos mesmo. Jogo de ferramentas sob o banco, inclusive com kit de reparos de pneu da Vipal que acompanhava o modelo na época. Correia marcada Caloi, pneus Pirelli ressecados maravilhosos, adesivos perfeitos, etiquetas de advertência, tudo no lugar… Tudo estava lá, tudo intocado, o velocímetro marcando 3.587 km rodados.  Os documentos originais, em nome do pai do amigo, mesmo sobrenome que preenchi quando assinei o cheque e perguntei: – a entrega está incluída, né? Pode levar amanhã pra minha garagem por favor!

Bem, enquanto escrevo esse relato, tenho que confessar, ainda nem andei nela. Apenas liguei o motor, esta funcionando direitinho, e agora vamos começar a cuidar dela, manutenção básica, limpeza cuidadosa e estará pronta. Possivelmente vamos fazer outras matérias, ela merece!  Em uma delas quero relatar tudo que foi feito na mecânica pra ela voltar à vida depois de 30 anos parada, e também como foi a limpeza, que tipo de marcas tiramos e que tipos de marcas resolvemos deixar.  Já adianto, nada será cromado, nada será repintado.  Apenas limpeza, mantendo sua pátina e suas marcas de vida, mantendo sua originalidade impar. E por fim, vamos procurar contar também como vai ser andar nela de novo.  Uma coisa já percebi, ela é minúscula.

A Placa Amarela

Já está definido também que a placa amarela não será retirada, será mantida com seu lacre de chumbo original, ainda não sei se embaixo do banco ou afixada no para-lama traseiro, mas como é uma moto na qual vou andar muito pouco, por perto, manter a originalidade fala mais alto. Muito se fala na placa preta, oito motos do acervo do Motos Clássicas 80 já a receberam, e é muito bacana…  Mas a amarela… Poxa! A placa AMARELA não se compra na esquina, não se conquista, ela tem que vir na moto.  E dali ela não sairá nunca mais!

IMG 9442 1 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Lacrada, com placa amarela, lacre de chumbo… sonho de uma coleção

Os detalhes da criatura

Aqui vamos detalhar um pouco da visão que tive no dia em que entrei na oficina do meu amigo Adriano, e tudo que demonstra o qual imaculada é a motoquinha.

IMG 9436 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Alguma pequena ferrugem em alguns pontos, mas tudo está lá, adesivos
tampa do parafuso do canote. E o velocímetro que marca 3.487 km.
IMG 9437 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Etiqueta de papel no raio me faz imaginar que talvez nunca tenha sido
sequer lavada… uma sobrevivente
IMG 9438 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Pneus ressecados, mas originais Pirelli!!!
IMG 9439 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Etiqueta de papel de fábrica no raio traseiro também
IMG 9440 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Banco e sua capa originais, note o logotipo XR antigo, está intacto!
IMG 9441 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
A tampinha de combustível que serve como dosador do óleo 2 tempos,
a placa sob o acento, e o velho Perfex já meio podre
IMG 9442 2 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
O Santo Graal
IMG 9443 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Tudo intacto, com sinais de 33 anos, mas completa
IMG 9444 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Farol italiano Carello – observação em 1987, ano dessa Mobylette,
a Carello ainda não havia sido comprada pela Magneti Marelli
IMG 9445 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Tudo, tudo como saiu da fábrica
IMG 9446 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Dá até pena de lavar isso!
IMG 9447 1 - Mobylette - o sonho de toda uma geração
Note no plástico que envolve as carenagens e serve pra proteger a pintura
contra riscos.  Tá ali, novinho!

Sem dúvida um enorme prazer compartilhar essas imagens e essa história com os amigos, não apenas detalhando um Barn Find, mas também compartilhando o passado desses veículos, na torcida que, assim como eu, ao ver essas fotos você entre nesse túnel do tempo!

One thought on “Mobylette – o sonho de toda uma geração

  • Que bom relembrar os momentos que passávamos passeando nessas projeto de motos mas achando que estávamos de RD !!!!
    A minha era e graças a Deus ainda me acompanha é a Maxi Puch Motovi.
    Trouxe várias peças e até um motor inteiro na minha mala na volta de Portugal !!
    Essa matéria me levou a quase trinta atrás !!!
    Valeu mesmo !!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *