O COMEÇO

Hits: 87

O Motos Clássicas 80

Quando comecei a escrever esse site, a ideia era simples e ingênua: publicar algumas fotos das minhas motos e compartilhar com alguns poucos amigos que se interessassem pelo tema, um pouco dessa paixão.

diego+mv+agusta - O COMEÇO
Diego Rosa – Testando MV Agusta para Revista Duas Rodas


Mas, ao começar a escrever  senti-me à vontade, resgatando de alguma forma lembranças dos anos em que eu escrevia para publicações especializadas em motociclismo… 

Fui me empolgando.

 – Para que o site ficasse menos impessoal, para que os visitantes pudessem realmente tomar assento nessa “garagem virtual” resolvi puxar a primeira cadeira, apresentando-me:
Meu nome é Diego Rosa, tenho 47 anos , dos quais 34 em cima de veículos de duas rodas ininterruptamente. 

Inicialmente as trail dos anos 80 – 
DT180N
XL250R
XLX350R
XT600Ténéré, passando por Vespa PX200E
RD350R e com a volta das importadas em 1991, 
XTZ750 Super Ténéré,
Sukuki DR650RSE
DR400, e por fim as esportivas, outra grande curtição e com as quais curiosamente (por conta do estilo pouco adequado) saí pela América do Sul em aventuras épicas e solitárias – 
Kawasaki ZX-9R,
Yamaha YZF-R1
Hayabusa e por ai vai…



Alguns caminhos que percorri na America do Sul
sul+1999 - O COMEÇO
Em 1999 indo ao Uruguai com o amigo André Gomes


ushuaia7 - O COMEÇO
Caminho de Ushuaia com a Yamaha R1
machu+picchu+ +t - O COMEÇO
No deserto do Atacama, com a Yamaha R1


machu+picchu+ +zn - O COMEÇO
Na cordilheira peruana, abastecendo a moto precariamente!
machu+picchu+ +zg - O COMEÇO
No sul do Peru, também com a Yamaha R1 – dunas gigantes!


Entre os anos de 2003 a 2009 tive o prazer e o prestígio de ser convidado a trabalhar como piloto de testes da Revista Duas Rodas

Foi praticamente um sonho, afinal eu era leitor assíduo desta publicação desde meus 12 – 13 anos…   Lembro-me como se fosse ontem, eu havia voltado da minha primeira viagem solitária ao Ushuaia (Terra do Fogo) em minha Yamaha R1 (isso em 2001 – quando haviam muitos km de rípio naquelas paragens e a viagem era considerada uma aventura, ainda mais sozinho, sem falar que viajei em uma super esportiva) e recebi uma ligação do então editor da revista Duas Rodas, Cícero Lima (que tornou-se um grande amigo e companheiro de jornada dessa paixão pelas duas rodas) me perguntando sobre a aventura e se eu queria publicá-la… 
Claro que sim, né Cícero ! E assim foi. 

A primeira publicação:

“UMA R1 CAI NA VIDA”…

blogger image  1973658978 - O COMEÇO

“O VIRA MUNDO”

blogger image  325859239 - O COMEÇO

Abaixo os certificados do IronButt (atualmente são 15  – 14 em uma YZF-R1 e o ultimo pra acompanhar um amigo, na XT1200Z Super Ténéré)… O meu negócio era rodar, rodar e rodar, sem com o destino me importar…

blogger image  420442428 - O COMEÇO


Uma vez publicada a primeira matéria e quebrado o gelo inicial, Cícero deve ter percebido minha fome por kms e me ofereceu uma CBR954RR  pra “dar uma volta” no final de semana e escrever sobre ela, afinal de contas eu estava habituado a principal concorrente desta moto (a Yamaha R1) e talvez eu pudesse dar alguma opinião legal sobre o tema.  

Bem, deixei minha R1 na redação da revista, na Vila Mariana, em São Paulo numa sexta-feira chuvosa, no comecinho da noite, e saí, ainda meio sem rumo definido em meio ao transito carregado de um final de tarde chuvoso paulistano.  
Dormi aquela noite em Curitiba (a Regis Bittencourt com chuva a noite era de lascar!), no dia seguinte fui até Gravatal, SC (próximo a divisa com RS) e voltei no domingo com 2.000 km de “voltinha” com a Honda 954.

Você é um tarado! – exclamou Cícero quando devolvi a moto com 2.000 km a mais no odômetro. 

Bem, foi a primeira matéria que publiquei, deve ter agradado, pois me convidaram pra uma infinidade de matérias nos anos que se seguiram…
“DOIS DIAS, DOIS MIL QUILÔMETROS”

blogger image 1218430740 - O COMEÇO


Passaram a me chamar de “o especialista“, encheram minha bola, e eu, que só queria andar de moto…

blogger image 1773015192 - O COMEÇO

Enfim, os anos foram passando, tive a felicidade de publicar muitas outras matérias – a maioria “viagens-teste” – eu me inspirava muito nas antigas publicações da própria Duas Rodas, onde cada teste podia transformar-se em uma aventura, então procurava fazer viagens longas com as motos, pra cima de 2000km era a preferencia… algumas das motos que testei:
– Hayabusa, – BMW K1200S– Hornet, – Cbr1000rr,– Cbr600rr,– V-strom,– Tiger 900, – R1, – MV-Agusta, – Ducati 998– XT660– Kawa ZX-6RR– Tiger 955 e etc e também publiquei algumas outras aventuras sentado na minha própria Yamaha R1: 
– Ushuaia – Machu Picchu – Atacama – Lençóis Maranhenses – indo pelo sertão e voltando pelo litoral)  – depois Ushuaia novamente mas dessa vez com uma Hayabusa.. 
Além das aventuras, fui, “depois de velho” aprender a pilotar esportivamente, e dei sorte: aprendi com o grande mestre… o norte-americano Keith Code, considerado o melhor instrutor de pilotagem de moto velocidade do mundo, cara que treinou mitos como “Wayne Rainey” por exemplo – Foram dois cursos intensivos, um no extinto autódromo de Jacarepaguá, RJ e outro no autódromo de Curitiba, PR.

1+keith - O COMEÇO

Diego Rosa aprendendo com o mestre Keith Code durante treinamento

diego+jacarepagua - O COMEÇO
No extinto Autódromo de Jacarepaguá durante treinamento com o norte americano Keith Code


Em duas ocasiões fui convidado a participar de provas do Campeonato Brasileiro de Supermoto, a primeira em 2004 com uma Husqvarna 470cc (que canhão!) e depois em 2007, coincidentemente com outra Husqvarna, dessa vez uma 125cc 2 tempos (apimentada também, viu!) no “Arena Supermoto”…  

Super+Motard+BB+050 - O COMEÇO
Em Barra Bonita, SP – Brasileiro de SuperMoto de 2004

E foi assim que mais de 800.000 km de experiências extremamente variadas, ficaram pra trás nesses 30 e tantos anos de estrada, e de paixão…

DSC 9459 - O COMEÇO
Na curva do S – em interlagos SP com a moto do heptacampeão Brasileiro, Gilson Scudeler

Bem, e as antigas onde entram nesta história? 

É curioso como muitas das coisas extraordinárias que acontecem em nossas vidas são situações simplesmente não planejadas, o lance da experiência com a Revista Duas Rodas por exemplo. 
Com as antigas não foi diferente: à partir da “Vermelhinha” (minha XL250R 1984) a paixão foi me conduzindo, ou conduzindo outras motos ao meu caminho, me aproximando de pessoas incríveis que nutrem sentimentos legais por essa  mesma paixão. 
Caras como você, que teve paciência e interesse em chegar até este ponto da leitura…  Com certeza temos muito em comum! E por isso lhe convido a navegar pelo nosso site, conhecendo as historias, as motos, os costumes, enfim, muita coisa relacionada ao motociclismo “à moda antiga”… focado nos anos 80.
E pra encerrar essa nossa primeira conversa, te convido a assistir um vídeo no qual participei, à convite da Honda do Brasil, vídeo esse que foi usado na cerimônia de inauguração do Museu da Honda Brasil no CETH de Indaiatuba, SP . Meu depoimento resume-se a uma singela e apaixonada homenagem às motocicletas e ao motociclismo…

É isso, puxe a sua cadeira, acomode-se, acompanhe, opine, reclame… Sinta-se à vontade! Seja bem vindo!