Yamaha RD350LC Um foguete no mercado.

Em setembro de 1986 a revista Motoshow soltou uma bomba! Um foguete pra ser mais exato!

Em minha opinião, entre as RD “a água” essa versão de 1986 é a mais linda e, depois da RD350, a própria Yamaha, quase 25 anos depois, voltou a quebrar paradigmas com a R1…mas ai já é conversa pra outro dia, mais mesmo pra ilustrar o pedigree dessa máquina e o potencial de criar maquinas carismáticas desse fabricante.

Enviado pelo colaborador: Alvaro Marcelo Ehlers

blank
blank
blank
blank
blank
blank
blank
blank
blank
blank

6 thoughts on “Yamaha RD350LC Um foguete no mercado.

  • blank

    Belíssima lembrança. E nossa RD 350LC só não era mais veloz ainda, porque a gasolina disponível nos postos do país, era de duvidosa qualidade, deixando com 55 cavalos, ao contrário dos 63 da versão vendida na Europa.

    Resposta
  • blank

    Belíssima lembrança. E nossa RD 350LC só não era mais veloz ainda, porque a gasolina disponível nos postos do país, era de duvidosa qualidade, deixando com 55 cavalos, ao contrário dos 63 da versão vendida na Europa.

    Resposta
  • blank

    Belíssima lembrança. E nossa RD 350LC só não era mais veloz ainda, porque a gasolina disponível nos postos do país, era de duvidosa qualidade, deixando com 55 cavalos, ao contrário dos 63 da versão vendida na Europa.

    Resposta
  • blank

    Tive uma mas era com carenagem integral, que cobria o motor até embaixo. Acho que era ano 86 ou 87. Essa da reportagem foi a versão de lançamento, mas logo surgiu a "vestida". Bem mais bonita. Rodei quase 30 mil km com ela sem nenhum problema. Deixou saudades.

    Resposta
  • blank

    Tive uma mas era com carenagem integral, que cobria o motor até embaixo. Acho que era ano 86 ou 87. Essa da reportagem foi a versão de lançamento, mas logo surgiu a "vestida". Bem mais bonita. Rodei quase 30 mil km com ela sem nenhum problema. Deixou saudades.

    Resposta
  • blank

    Tive uma mas era com carenagem integral, que cobria o motor até embaixo. Acho que era ano 86 ou 87. Essa da reportagem foi a versão de lançamento, mas logo surgiu a "vestida". Bem mais bonita. Rodei quase 30 mil km com ela sem nenhum problema. Deixou saudades.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *